Karina Buhr

www.karinabuhr.com.br

facebook.com/KarinaBuhrOficial?ref=hl

instagram: @karinabuhr

Karina Buhr iniciou na música em 1992, em Pernambuco, tocando percussão e cantando nos maracatus Piaba de Ouro e Estrela Brilhante, em cavalos marinhos e rodas de coco. Tocou com a banda Eddie, dj Dolores, Erasto Vasconcelos, Antônio Nóbrega, na banda de pífanos Zabumba Véia do Badalo, entre outras tantas. Em 1997 formou a banda Comadre Fulozinhacom quem lançou 3 discos. Com o Teatro Oficina, de José Celso Martinez Corrêa, fez “As Bacantes”, “Os Sertões”, em temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Quixeramobim, Canudos e Berlim e ganhou o Prêmio Shell São Paulo de Teatro 2002, na categoria trilha sonora.

Entre 2010 e 2012 lançou os discos “Eu Menti pra Você” e “Longe de Onde”, ganhou o prêmio de artista do ano 2010, pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte), ficou com os dois discos entre os “Top 10” de disco e música, da revista Rolling Stone e tocou na Womex, Copenhague. Recebeu indicações de “artista revelação”, “melhor artista feminino” e“melhor música”, no VMB e “melhor cantora” no Prêmio Música Digital. Foi escolhida entre os 3 melhores shows do ano pela Folha de São Paulo e entre os melhores discos e shows do ano pelo Estado de São Paulo, o Globo, entre outros.

No Prêmio Bravo 2012 concorreu a melhor show nacional, ao lado de Marisa Monte e Gal Costa. Foi apresentada na MTV americana, como “uma Patti Smith com olhos pintados e um monte de cultura brasileira a seu dispor“. No 45o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, ganhou o prêmio de melhor trilha sonora com o filme “Era uma vez eu, Verônica”, de Marcelo Gomes. Participou a trilha de “Enjaulados” (Kléber Mendonça Filho), do filme e da peça “A Máquina” de João Falcão, da minissérie “Clandestinos” (Globo) e “Descolados” (MTV).

Participou do Rock in Rio 2011 e do festival Roskilde, na Dinamarca. Integrou a trilha da novela Cordel Encantado, com a música “Tum Tum Tum”, participou do disco “Clímax”, de Marina Lima, com “Desencantados”, parceria das duas com Edgard Scandurra. No final de 2013, estreou o show “Secos e Molhados”, com repertório do álbum homônimo de 1973.

Em julho de 2014 fez turnê européia, tocando em Lisboa, Porto, Paris, Berlim, Madri e no Palau de la Música, em Barcelona. Desde 2012 Karina faz, junto com Camila Fudissaku, o fanzine digital “Sexo Ágil”, escreve e ilustra o blog Pane no Pântano (revista Carta Capital) e também uma coluna na Revista da Cultura, da Livraria Cultura, além do blog “Romântico Defeituoso”, no site da revista TPM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *